2020: um ano de aprendizado, reflexão e ações

A pandemia vem sendo um período de muito aprendizado e reflexão para todos. Os desafios e as lições estão sendo inúmeras. Seguiremos neste ritmo por mais algum tempo, transitando em um terreno ainda desconhecido que exige cautela. O novo cenário nos obrigou a lidar, aqui na Log-In, com situações complexas, que exigem respostas rápidas. Mesmo com as muitas particularidades do nosso segmento, vimos que era possível funcionar bem com uma gestão à distância.

 

Descobrimos no digital mais que um aliado, uma estratégia de negócio e um meio de engajamento e envolvimento com o nosso time. Redefinimos as agendas e desenvolvemos iniciativas para as lideranças. Em paralelo, ainda foi preciso lidar com o imediatismo da crise, elaborando e implementando ações voltadas para esse “novo normal”.

 

Ainda nos primeiros casos de Covid-19 surgidos no início do ano, criamos um Comitê de Crise, formado por sete pessoas, incluindo um médico do trabalho, duas enfermeiras, além de colaboradores das áreas de Saúde e Segurança (SSMA), e Gente e Gestão. Liderado pela nossa diretora Andréa Simões, o grupo se reúne diariamente para analisar e acompanhar a curva de crescimento de novos casos, letalidade, taxa de retransmissão nas cidades onde temos presença, quem pode seguir trabalhando de casa, entre outros pontos.

 

Em campo, criamos um plano de blindagem nos navios e realizamos reuniões rotineiras com os comandantes da nossa frota. Optamos pela telemedicina na navegação, iniciativa pioneira e inovadora. Quebramos paradigmas e nos apoiamos na tecnologia para monitorar nossos marítimos e cumprir os protocolos da ANVISA. O exame PCR passou a ser obrigatório no período pré-embarque e também aumentamos o número de turmas dos navios.

 

Por exercermos um tipo de serviço essencial, muitos dos nossos colaboradores que atuam nas áreas operacionais não mudaram suas rotinas. Desta forma, foi preciso fazer uma adaptação imediata em nossos terminais, com os cuidados redobrados.

 

A saúde mental e emocional dos nossos colaboradores foi outro ponto de muita atenção. Em nosso programa de qualidade de vida “Viva Bem”, realizamos pesquisas periódicas e acompanhamos questões sobre alimentação e atividade física para entendermos como está a rotina de trabalho de cada um. Montamos um Squad de home office que ficará responsável por discutir e desenhar um modelo de trabalho que possibilite integrar o trabalho remoto às rotinas de nossos times para quando as atividades forem normalizadas.

 

Na empresa como um todo, fizemos as avaliações de desempenho, nosso “Ciclo de Gente”, 100% à distância, o que também foi disruptivo. Comprovamos com isso que, qualquer dúvida ou opinião pré-concebida a respeito de limitações do online, não se sustentavam. Soltamos as travas no que tange o significado de estarmos juntos e conectados em prol de um negócio e um objetivo em comum.

 

Todas essas medidas conectaram ainda mais as nossas equipes. De um dia para outro, precisamos colocar em prática projetos que estavam no planejamento em prol da saúde de quem realmente faz nosso negócio acontecer. O bem-estar do colaborador vai muito além do salário e a empresa pode fazer sempre mais ao apoiar e causar impacto positivo nas vidas de seus times e familiares.

 

Essas são algumas de uma série de medidas que já foram totalmente incorporadas à nossa rotina. Enquanto realizamos esse monitoramento diário, todo os nossos colaboradores, seja de áreas operacionais ou de escritórios administrativos, seguem trabalhando normalmente seguindo todos os protocolos necessários. As pessoas são o nosso principal ativo e precisamos ter sempre em mente o equilíbrio entre o humano e o negócio.